Transtorno Bipolar

A variação de humor, com altos e baixos, acaba prejudicando a vida social. É  comum a pessoa ter dificuldade de se manter em empregos ou em relacionamentos amorosos, levando a um grande sofrimento.

Antigamente, pensava-se que o transtorno bipolar atingia apenas a população adulta; hoje, já se sabe que  a  doença pode se manifestar bem cedo, na infância ou na adolescência.

O transtorno bipolar apresenta predisponentes genéticos importantes,. Assim sendo. pessoas com familiares com  o transtorno apresentam maior chance de desenvolvê-lo em algum momento da vida.

Certos acontecimentos, como uma crise conjugal, perda de um emprego,  abuso sexual  podem funcionar como um fator desencadeante da doença.  Essas situações de maior tensão e estresse não são a causa da doença, mas favorecem a manifestação da mesma.

O tratamento consiste  em acompanhamento psicológico e psiquiátrico. Um dos tipos de medicamentos mais utilizados para este diagnóstico são os estabilizadores de humor, mas outros podem ser necessários  para  completar o tratamento a critério do psiquiatra.

É comum o paciente não perceber a gravidade de seu estado, sendo necessária a ajuda e o apoio da família na busca de tratamento. Nos episódios de mania,  o otimismo exagerado e a mania de grandeza  impedem que a pessoa perceba que não está bem. Nos períodos de depressão, o desânimo, a apatia e a falta de esperança dificultam a busca de ajuda profissional. Por isso, o apoio e a observação atenta da família são muito importantes.

Os principais sintomas dos episódios de mania são:

  • pensamento acelerado
  • insônia
  • agitação, inquietude.
  • irritabilidade
  • envolvimento em brigas, discussões por motivos fúteis (“pavio curto”)
  • impulsividade – tem atitudes  das quais se arrepende depois
  • autoestima elevada, acha que sempre tem razão
  • euforia, otimismo exagerado.
  • distração

Os  principais sintomas dos episódios de depressão são:

  • desânimo
  • desinteresse pelas atividades habituais
  • sentimento de inferioridade
  • isolamento social
  • irritabilidade
  • insônia ou sono excessivo
  • falta de apetite
  • vontade de chorar ou choro frequente
  • falta de esperança no futuro.
  • sintomas físicos sem causa orgânica.
  • ideias de morte e suicídio

Algumas dicas de como lidar com o Transtorno Bipolar;

1- Em primeiro lugar, é importante que todos, familiares e o próprio paciente,  entendam que não há culpados pela doença.  Hoje se sabe que existe uma predisposição genética para a manifestação do transtorno bipolar.

2-Não desistir de tomar os medicamentos porque está se sentindo bem.  O  transtorno bipolar exige um tratamento contínuo para evitar novas crises. Siga as orientações médicas.

3- Com o tempo, é possível que o próprio paciente e a família consigam identificar os sinais iniciais de que o humor está se alterando. Isso possibilita que se busque auxílio médico com maior rapidez.

Sugestões de livros sobre Transtorno Bipolar

Temperamento forte e bipolaridade. Dominando os altos e baixos do humor. Diogo Lara,  Porto Alegre. 2004

Transtorno Bipolar na infância e adolescência  Aspectos Clínicos e  Comorbidades. Lee Fu -I, Miguel Angelo Boarati  e colaboradores. Artmed, 2010.
Leia também:
Atualizado em fev/2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>